Um conto sobre Contabilidade

Quando entrei na sala de aula, sabia que aquela seria uma noite diferente. Afinal, não é sempre que se fazem trinta anos de profissão nem vinte e cinco de docência. A Contabilidade sempre foi minha paixão, desde o primeiro dia de aula na graduação e é até hoje. Por isso, queria dar uma aula diferente naquela noite. Nada de exercícios, de livros ou de balancetes.
Como de costume, entrei na sala já dizendo boa noite aos alunos, mas não sentei na minha cadeira. Fiquei em pé.
Depois que todos se acomodaram em seus lugares, disse-lhes: Hoje não haverá chamada!. E olhos esbugalharam-se! Pude ver no rosto de cada um o espanto, afinal, sempre fui um tanto “Caxias” quanto a isso.
– Por favor – disse-lhes novamente – formem um círculo, um único círculo e deixem o centro livre.
Mais olhos esbugalhados! Nunca fizera esse tipo de dinâmica, pensaram certamente alguns alunos.
Quando o barulho das cadeiras e carteiras se arrastando pelo piso cessou, eu encontrei um espaço no círculo e me sentei junto dos meus alunos.

Continuar lendo