Um conto sobre Contabilidade

Quando entrei na sala de aula, sabia que aquela seria uma noite diferente. Afinal, não é sempre que se fazem trinta anos de profissão nem vinte e cinco de docência. A Contabilidade sempre foi minha paixão, desde o primeiro dia de aula na graduação e é até hoje. Por isso, queria dar uma aula diferente naquela noite. Nada de exercícios, de livros ou de balancetes.
Como de costume, entrei na sala já dizendo boa noite aos alunos, mas não sentei na minha cadeira. Fiquei em pé.
Depois que todos se acomodaram em seus lugares, disse-lhes: Hoje não haverá chamada!. E olhos esbugalharam-se! Pude ver no rosto de cada um o espanto, afinal, sempre fui um tanto “Caxias” quanto a isso.
– Por favor – disse-lhes novamente – formem um círculo, um único círculo e deixem o centro livre.
Mais olhos esbugalhados! Nunca fizera esse tipo de dinâmica, pensaram certamente alguns alunos.
Quando o barulho das cadeiras e carteiras se arrastando pelo piso cessou, eu encontrei um espaço no círculo e me sentei junto dos meus alunos.

Continuar lendo

Conversor PAD : um conversor de leiaute para os arquivos do SIAPC/PAD do TCE/RS

A ferramenta Conversor PAD é um conversor de leiaute para os arquivos de dados gerados para o Programa Autenticador de Dados (PAD) do sistema SIAPC do TCE/RS.

Ele converte os “txt do PAD” em arquivos CSV que são compatíveis com softwares de planilhas eletrônicas, como o Excel, por exemplo.


Além de converter os dados do leiaute de colunas com largura fixa para colunas separadas por ponto-e-vírgula, ele também faz conversões para os campos de data, moeda e outros, tais como códigos de receita, despesa e contábil.

O Conversor PAD é gratuito e distribuído sob a licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil.



Instalação

A instalação do Conversor PAD é simples, bastando executar o instalador que irá descompactar a pasta ConversorPAD no local de instalação.

O Conversor PAD foi desenvolvido no Windows 10 e testado nele, porém, virtualmente é possível executar em qualquer outra versão do Windows desde que acima do Windows Vista, ou seja, no Windows Vista, no Windows 7, no Windows 8 e 8.1 e no Windows 10.

Também é virtualmente possível o conversor funcionar no Linux, já que ele é desenvolvido inteiramente com PHP 7.

É recomendável que o local de instalação seja a pasta raiz de alguma partição, como C:, ou D:. Embora a ferramenta possa funcionar em outros caminhos de instalação, ela é desenvolvida no caminho C:ConversorPAD, por isso, instalar em outros locais pode ocasionar, mesmo que eventualmente, falhas na conversão.


Utilizando o Conversor PAD

Escolhendo os arquivos txt do PAD para converter

Coloque os txt do PAD na pasta “input”. A ferramenta apenas irá converter os arquivos que estiverem dentro da pasta “input”.

Por exemplo: se quiser converter apenas o bal_desp.txt, é esse arquivo que você vai colocar dentro de “input”.
Coloque ali os arquivos, e não o atalho para eles.

Inicie a conversão

Execute o arquivo convert2csv.bat (note que a extensão .bat pode não aparecer para você, dependendo das configurações de opções de pasta do Windows).

Para executar convert2csv.bat, basta dar dois cliques no arquivo ou selecionar ele e pressionar ENTER.

A partir daí, aparecerá uma tela do prompt de comando do Windows. Nessa tela você irá acompanhar a conversão. Também aparecerão os erros, se ocorrerem.


Verificando o resultado da conversão

Ao final da conversão, se tudo ocorreu bem, na pasta “output” estarão os arquivos convertidos.


A conversão irá criar um arquivo CSV, para cada arquivo txt do PAD que existe dentro da pasta “input”. Se algum arquivo não for convertido, não será criado um arquivo CSV.

Lembre-se que, dependendo das configurações do Windows, a extensão .csv poderá não aparecer.

Ao abrir o arquivo convertido, você terá na primeira linha da planilha o cabeçalho das colunas. Nas demais linhas, os dados do txt convertidos.

Para aprender mais sobre o formato de arquivo CSV, consulte a Wikipédia.

Lembre-se de mover ou copiar os arquivos convertidos para outra pasta, já que a cada nova conversão, os arquivos convertidos anteriores são apagados.



Como obter suporte

Por se tratar de um trabalho voluntário, não há, evidentemente garantia de suporte.
O conversor foi desenvolvido para uso pessoal do desenvolvedor, que é contador público de um município do Rio Grande do Sul. Desta forma, eventuais erros e problemas serão resolvidos pela utilização pessoal dele. Problemas enfrentados pelos demais usuários poderão ser relatadas nos comentários desta página.

Maiores detalhes sobre instalação e utilização, consulte o arquivo Ajuda.doc dentro da pasta “CovnersorPADdoc”.

Baixando o instalador

Planilha para estimativa mensal de arrecadação

Quem trabalha com a elaboração do orçamento e a sua avaliação sabe que são necessárias estimativas mensais de arrecadação para a definição e avaliação da programação financeira.

Eu costumo fazer a previsão da receita orçamentária de forma manual, já que isso me dá total controle do cálculo e não me faz esperar por ajustes de sistema quando algo está errado.

Alguns sistemas informatizados tem funcionalidades mais elaboradas para o rateio mensal da previsão da receita, enquanto que outros trabalham simplesmente com um valor médio mensal.

Grande parte das receitas tem uma característica de sazonalidade na distribuição mensal da arrecadação, inclusive as receitas mais relevantes no âmbito municipal, tais como o FPM e o ICMS. Pensando nisso (e atendendo a uma necessidade minha), desenvolvi uma planilha no Excel para distribuição mensal da previsão da receita, de forma automática de acordo com a sazonalidade média.

Na planilha existem várias guias,c ada uma com uma função, porém três delas são de importância para o usuário, a saber:

  1. Guia Receitas: nela são cadastrados os códigos e nomes das receitas, a fonte de recursos e os valores previstos para o ano;
  2. Guia Arrecadação: onde se registra a arrecadação mensal dos anos que serão base para o cálculo da sazonalidade;
  3. Guia Previsão Mensal: mostra os valores previstos mensais de acordo com a sazonalidade média ajustada.

Instruções de uso e descrição do funcionamento

Primeiramente, o usuário deve preencher a guia Receitas, colocando o código da receita, a sua descrição, o código da fonte de recursos e o valor previsto para o ano que se deseja a meta mensal de arrecadação.

Os campos Código, ReceitaFonte são indicativos, ou seja, em Código, pode-se colocar o código da natureza da receita, ou um código de acesso ou outro qualquer, desde que seja único e identifique a receita desejada.

O campo Receita serve para colocar o nome da receita, não necessariamente a descrição constante no elenco de contas.

O mesmo se observa para Fonte, que se destina apenas para se fazer algum tipo de filtro ou agrupamento. Se quiser, pode deixar em branco que não haverá influência no resultado.

Uma observação importante para o campo Código: ele é referência nas demais guias: isso quer dizer que no campo Código das outras quias, deve-se incluir os mesmos valores dos informados na guia Receitas.

Depois de preencher a guia Receitas, o usuário deve preencher a guia Arrecadação, informando no campo Código o código da receita, em Ano, o ano da arrecadação e nos campos relativos aos meses, o valor arrecadado em cada mês.

Deve-se preencher tantos anos quanto se queira trabalhar, por exemplo, três anos, cinco anos, etc.

Caso seja necessário, deve-se preencher as demais colunas com as fórmulas, como se faria numa planilha normal.

Feito isso, agora todo o trabalho é por conta do sistema.

Na quia Sazonalidade, é feito o cálculo do percentual arrecadado em cada mês em relação ao total arrecadado, por ano e por receita.

Na guia Sazonalidade Média, o Excel calculará a sazonalidade mensal média para cada mês em cada receita.

Um dos efeitos da média com percentuais é que às vezes a soma dos percentuais médios corresponde a um valor diferente de 100%. Esse efeito é corrigido na guia Sazonalidade Corrigida.

Por fim, o Excel calculará com base na sazonalidade corrigida e no valor anual previsto o quanto cabe a cada mês, por receita. Isso é feito na guia Previsão Mensal.

O usuário deve ter o cuidado de preencher as linhas e colunas das guias com as fórmulas, caso o número de linhas com receitas informadas seja superior ao número de linhas contempladas nas guias. Isso é feito apenas copiando a linha superior de cada guia para a linha seguinte.

Além disso, na planilha, as colunas em que se deve digitar algo tem o cabeçalho sombreado em cinza, para facilitar a localização das informações digitadas. O resto são fórmulas.

Baixe a planilha de rateio mensal de previsão de receitas.

PIPCP: Plano de Implantação dos Procedimentos Contábeis Patrimoniais

 Dentro do processo de convergência aos padrões contábeis internacionais e da consolidação das contas nacionais, em 2013 a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) editou a Portaria STN nº 634 estabelecendo regras gerais acerca das diretrizes, normas e procedimentos contábeis aplicáveis aos entes da Federação.

Essa Portaria estabeleceu no seu art. 3º, que as diretrizes, conceitos e procedimentos contábeis, além de seguir outros atos normativos e publicações técnicas, seria balizadas por três tipos de documentos:

  • O Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP), de observância obrigatória pela União, EStados e DF, e Município;
  • As Instruções de Procedimentos Contábeis (IPC), que possuem caráter orientador, e por isso, de observância facultativa; e
  • As Notas Técnicas, destinadas a elucidar algum ato normativo ou explicitar o entendimento da STN em casos concretos.

Quanto ao Plano de Implantação dos Procedimentos Contábeis Patrimoniais (PIPCP), objeto deste texto, a Portaria STN nº 634/2013, em seu Capítulo IV apresenta as principais diretrizes a serem seguidas pelos entes da Federação.
Continuar lendo